Você conhece as inteligências múltiplas?

DestaqueInovações Educacionais

2 de fevereiro de 2022

Redação Guia do Futuro
Redação Guia do Futuro

Equipe apaixonada por educação, produzindo conteúdos voltados para pais que querem fazer a diferença na formação dos filhos!Publicado em . | Atualizado em 2 de fevereiro de 2022.


Entenda quais são os tipos de potenciais que seu filho pode ter e como estimular o desenvolvimento na infância.

Foi em 1983 que o psicólogo norte-americano Howard Gardner apresentou o conceito de Inteligências Múltiplas ao mundo. Seus estudos mostraram que o desenvolvimento de habilidades e competências em uma pessoa depende de alguns fatores, como a educação recebida em um ambiente estimulante e as oportunidades encontradas.

Na visão tradicional só havia uma forma de medir a inteligência: o famoso teste de QI (abreviação do termo “quociente de inteligência”). Entretanto, estudos mais modernos provaram que essa avaliação é muito limitada por abordar somente os aspectos das inteligências lógico-matemática e linguística, que são dados insuficientes para medir a totalidade da capacidade cognitiva de um indivíduo.

Além da dificuldade de avaliar, é importante lembrar que inteligência é diferente de habilidade. Para Gardner, ser bom em alguma atividade é apenas um sinal de saber fazer algo que é valorizado por outras pessoas. Já a inteligência é um recurso mais amplo, que pode ser usado em várias atividades diferentes. Um escritor pode usar a inteligência linguística que possui, por exemplo, tanto para escrever um livro quanto para explicar os detalhes de uma receita de bolo.

Se as inteligências refletem nossas aptidões de forma mais abrangente, as habilidades surgem somente com a prática. Saber falar em público, conseguir se acalmar sozinho, executar um belo passo de dança, todos esses são exemplos de habilidades que a gente precisa exercitar para evoluir.

Acontece que cada pessoa tem mais facilidade de evoluir em certos tipos de atividade. Isso mostra como as inteligências múltiplas vieram para quebrar o paradigma de que um aluno seja menos capaz do que outro, somos apenas inteligentes de diferentes formas.

Para saber quais são as inteligências listadas por Gardner e como estimular seu desenvolvimento na infância, continue a leitura conosco!

Conheça os tipos de inteligência

As inteligências múltiplas são constituídas por potenciais que compreendem diferentes campos do conhecimento. O psicólogo Howard Gardner listou oito tipos que explicamos separadamente.

Linguística

A inteligência linguística é referente à capacidade de expressão, que pode ser feita na forma escrita, oralmente ou por gestos. É competência predominante, por exemplo, nos vendedores, escritores, poetas, linguistas e jornalistas.

Percebemos os traços desse tipo de inteligência nas crianças pela forma como contam detalhadamente suas experiências, criando as próprias histórias e geralmente apresentando um vocabulário mais amplo do que a média da idade.

Outras características encontradas em pessoas com inteligência linguística bem desenvolvida são:

  • facilidade para aprender novas linguagens;
  • costumam ser bons oradores;
  • compreensão rápida de textos;
  • transmissão clara de suas ideias;
  • capacidade de analisar e interpretar diferentes tipos de informações.

As crianças que apresentam esse tipo de inteligência mais desenvolvida têm uma linguagem rica e utilizada de forma mais natural. Elas mostram interesse pelos significados de novas palavras e gostam de usar corretamente, apreciando as nuances que existem nos contos e rimas.

Preparar um discurso, escrever um pequeno conto, inventar uma história ou fazer uma poesia são algumas atividades que podem potencializar este tipo de inteligência. Desafios como ver filmes com legendas e conversar sobre o tema de um livro, por exemplo, podem fazer diferença. Usar jogos como caça-palavras também ajuda a expandir o vocabulário.

Lógico-matemática

É a inteligência voltada a conclusões embasadas na razão. Permite a compreensão de padrões, categorias e sequências, facilitando o pensamento indutivo e dedutivo. Também abrange a capacidade de confrontar e avaliar objetos e abstrações, discernindo as suas relações. Está associada a profissões das áreas de engenharia, economia, contabilidade, análise de sistemas, matemática, estatística, física, química, ciências e pesquisa em geral.

Pessoas com inteligência lógico-matemática demonstram facilidade para:

  • fazer cálculos matemáticos com rapidez;
  • reconhecer padrões;
  • usar a razão para resolver tarefas complexas;
  • criar procedimentos para suas atividades como listas e itinerários;
  • jogos que envolvem estratégia;
  • trabalhar bem com números e atividades que exigem lógica.

As crianças nas quais predomina este tipo de inteligência são observadoras, gostam de adivinhações, de desafios matemáticos e de saber como funcionam as coisas. Para favorecer o potencial, jogos de tabuleiro que envolvam estratégia como xadrez são interessantes. Brincadeiras de decifrar códigos, ordenar sequências ou valores também ajudam. Fazer receitas culinárias mais complexas, com medidas exatas, pode ser um bom desafio e ainda gerar resultados que toda a família saboreia junto.

Musical

Está relacionada à sensibilidade de reconhecer padrões tonais e rítmicos facilmente. Por isso, quem tem essa inteligência consegue não apenas reproduzir, mas também criar melodias. É predominante em músicos, compositores, maestros, produtores musicais e críticos de música. Pode estar associada a outras inteligências, como a linguística, espacial ou corporal-cinestésica.

Suas principais características são:

  • reconhecer, criar e reproduzir músicas, usando um instrumento ou a voz;
  • identificar notas musicais, independentemente de onde elas venham;
  • aprender a tocar músicas apenas ouvindo;
  • perceber com sensibilidade os ritmos, tons e timbres.

As crianças com inteligência musical tendem a relaxar e se concentrar melhor quando ouvem música. É natural gostar das inúmeras brincadeiras que envolvem aprender canções, assim como imitar sons de animais e criar ritmos com objetos improvisados. Cantar em família e tocar um instrumento, mesmo que seja de brinquedo, são ótimas opções para estimular esse tipo de potencial no seu filho.

Interpessoal

Inteligência interpessoal é a habilidade de se relacionar com outras pessoas, sendo capaz de reconhecer e entender os sentimentos, as motivações e as intenções do outro. É considerada, atualmente, uma das competências mais requisitadas no mercado de trabalho. Por estar diretamente vinculada ao contato humano, pessoas com essa inteligência bem desenvolvida tendem a trabalhar nas áreas de psicologia, direito, liderança política, educação, marketing e vendas.

Podemos listar como características de alguém com essa inteligência:

  • facilidade para interagir com outras pessoas;
  • exerce forte influência e são líderes natos;
  • habilidades de mediação de conflitos;
  • possui melhor compreensão da linguagem verbal e não-verbal;
  • organização e coordenação de equipes de pessoas.

As crianças que têm esta inteligência muito desenvolvida querem estar sempre acompanhadas e em grupo, pois apreciam as brincadeiras coletivas. Também mostram desde cedo habilidade para evitar e gerir os conflitos, ou seja, sabendo se relacionar com as necessidades e expectativas das outras pessoas.

Com o devido tempo, esses traços podem ser desenvolvidos para saber trabalhar em equipe, aprender a dar e receber feedback, assim como apreciar o valor das diferenças que existem na sociedade. Todas essas capacidades altamente importantes estão ligadas à inteligência interpessoal.

Se o seu filho mostra este tipo de aptidão, brincar usando jogos cooperativos que unem todos os membros da família é uma boa forma de estímulo. Ampliar o círculo de amizades na vizinhança e com atividades diferentes também pode ser interessante.

Intrapessoal

Trata-se da inteligência relacionada à conexão consigo mesmo e ao grau de autoconhecimento. Aproxima-se do conceito de inteligência emocional por se tratar da compreensão dos seus próprios sentimentos e de como utilizar essa capacidade para solucionar problemas em situações do cotidiano. A pessoa com inteligência intrapessoal desenvolvida tem o diferencial para a ampliação de outras capacidades.

As áreas profissionais com destaque para a inteligência intrapessoal são psicologia, psiquiatria, sociologia, filosofia, escrita, anatomia ou outras que envolvam habilidades analíticas.

Suas características principais são:

  • foco e concentração no que faz;
  • autocontrole mais apurado;
  • exerce pensamento crítico;
  • capacidade de entender suas próprias motivações e potenciais;
  • facilidade para descrever e explicar seus sentimentos e emoções.

Este tipo pode ser melhor observado nas crianças que preferem trabalhar sozinhas, apresentando alto nível de concentração e independência. Geralmente podem ser vistas como tímidas ou teimosas, mas na verdade são muito criativas.

Podemos ajudar uma criança a desenvolver a inteligência intrapessoal falando abertamente sobre as emoções no cotidiano. Estratégias como descrever qualidades, jogos de concentração e técnicas de reflexão sobre sentimentos também são interessantes. Os caminhos que levam ao autoconhecimento, relaxamento e a uma melhor gestão de estados emocionais são os mais indicados.

Espacial-visual

A aptidão visual ou espacial se refere à competência para reconhecer e manipular padrões visuais e de localização. Conseguimos identificar essas características nos arquitetos,  fotógrafos, designers, escultores, jogadores de xadrez, cartógrafos, geógrafos, navegadores, inventores e demais profissionais que conseguem vislumbrar visualmente seus projetos antes mesmo de colocá-los no papel.

Podemos considerar outras características como:

  • memória visual;
  • ótimo desempenho na resolução de enigmas e quebra-cabeças;
  • capacidade de representação gráfica;
  • facilidade com mapas, gráficos e diagramas;
  • boa manipulação de cores, linhas, formas, figuras e espaço;
  • consegue visualizar diversas posições de um mesmo objeto.

Nas crianças, pode-se observar isso quando têm uma inclinação especial por jogos que consistem em montar, desmontar e tudo mais que esteja expressado em imagens, valorizando a observação atenta aos menores detalhes.

Para ajudar no desenvolvimento da inteligência espacial-visual, você pode usar atividades simples como mudar a decoração de casa ou criar um mural de fotos. Brincadeiras como montar quebra-cabeças, jogos de construção, encontrar a saída de labirintos e editar vídeos podem ser altamente estimulantes.

Corporal-cinestésica

É o conjunto de habilidades cognitivas que facilitam a conexão e coordenação da mente com o corpo, sendo responsável pela gestão da força, equilíbrio, velocidade e flexibilidade.

A grande característica da inteligência corporal é a capacidade de se expressar de forma não verbal, habilidade encontrada em atores, dançarinos, atletas, pintores e artesãos. Considerando a facilidade em manusear cuidadosamente seus instrumentos de trabalho, não podemos esquecer dos cirurgiões e dos mecânicos.

As pessoas que possuem a inteligência corporal-cinestésica desenvolvida apresentam:

  • grande habilidade atlética;
  • excelente coordenação motora;
  • sentido de ritmo e da coordenação;
  • elevada consciência corporal;
  • facilidade para manipular objetos.

As crianças que possuem alto nível desta inteligência geralmente sofrem em sistemas tradicionais de ensino nos quais são obrigadas a ficar quietas durante longos períodos de tempo. Afinal, a sua forma preferida de absorver estímulos e aprender é através do corpo e do movimento.

Tendo a força maior de expressão na movimentação, os pequenos mais cinestésicos podem ser etiquetados como hiperativos numa primeira avaliação. Naturalmente, apreciarão muito todas as brincadeiras que envolvam o movimento e a experimentação. Dançar, praticar esportes e fazer peças teatrais em família também são boas ideias de atividades educativas.

Naturalista

Gardner acrescentou a inteligência naturalista posteriormente por considerá-la essencial para o futuro da humanidade e do planeta. A inteligência naturalista abrange o modo como a pessoa se relaciona com os elementos da natureza, em como percebe seus ciclos, mudanças climáticas e importância de sua preservação para a nossa sobrevivência.

Podemos relacionar essa inteligência a profissionais como biólogos, floricultores, agricultores, guia turísticos, geólogos, engenheiros climáticos, jardineiros e meteorologistas.

São conhecidos por terem as seguintes aptidões:

  • maior consciência sobre o uso de recursos naturais;
  • memória nítida sobre os detalhes dos elementos naturais;
  • facilidade para identificar e classificar plantas, animais, minerais;
  • sensibilidade para compreender e organizar os objetos, fenômenos e padrões da natureza.

Este tipo pode ser observado nas crianças que gostam de explorar diferentes ambientes, observar o comportamento de insetos, visitar lugares com animais, assim como entrar em contato com parques e hortas.

Para estimular este tipo de inteligência, assumir a responsabilidade de realmente cuidar de um animal de estimação pode ser interessante. Fazer passeios ao ar livre e acampar também são indicados. Experimente tudo que conecte a criança com um plano natural onde a percepção e a intuição são protagonistas.

Equilibrando as inteligências múltiplas na infância

Conhecer os diferentes tipos de inteligência nos ajuda a entender melhor o potencial das crianças. Caso o seu filho não consiga fazer cálculos matemáticos com rapidez, por exemplo, você já sabe que há outra competência, outro tipo de inteligência com características que são mais naturais para ele.

Para Gardner, o desenvolvimento dessas múltiplas aptidões depende de fatores ambientais e neurobiológicos, sendo as experiências na família e as vivências na educação formal os grandes agentes influenciadores.

Quando estimulamos essas diferentes inteligências ao longo da vida, a criança não só passa a compreender melhor o mundo, mas também evolui sua capacidade de assimilar os conteúdos das disciplinas tradicionais, passando a perceber com clareza quais pontos precisam ser melhorados.

Os oito tipos de inteligência se encontram em maior ou menor medida em todas as pessoas. No caso de nossos filhos, o ideal é sermos capazes de aproveitar os potenciais que predominam e também saber favorecer as áreas nas quais são mais deficitários. Desta forma, é possível equilibrar todas as aptidões em busca de um desenvolvimento harmônico.

Call to Action

Detalhe do Call To Action para Download do Material

Deixe um comentário

Artigos relacionados


Share via
Copy link
Powered by Social Snap

Seu futuro começa aqui

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos sobre educação!