Mudança de escola: entenda como ajudar seu filho neste momento

Família e Escola

26 de janeiro de 2021

Redação Guia do Futuro
Redação Guia do Futuro

Equipe apaixonada por educação, produzindo conteúdos voltados para pais que querem fazer a diferença na formação dos filhos!Publicado em . | Atualizado em 15 de janeiro de 2021.


A mudança de escola é um desafio comum para todo ser humano. Contudo, quando ela acontece nos primeiros anos da infância pode proporcionar uma mistura de sentimentos difíceis de serem administrados. Isso ocorre, pois as crianças não entendem com muita clareza o motivo de mudar, consequentemente a aceitação da troca é mais demorada.

Entretanto, algumas mudanças na vida são necessárias, bem como inevitáveis em outras situações. Nesse sentido, quanto antes os filhos entenderem como funciona esse processo e o como é importante, melhor eles saberão lidar no futuro, formando pessoas mais seguras e cientes de si mesmas.

Pensando em como ajudar os filhos a enfrentar o processo de mudança de escola, criamos este artigo com dicas essenciais para que a transição seja tranquila, tanto para as crianças, quanto para os pais. Acompanhe!

Quais são os desafios que os filhos podem enfrentar na mudança de escola?

Em toda fase de aprendizagem a criança encontrará desafios para superar. Isso faz parte do processo de desenvolvimento do ser humano. Portanto, na vida escolar não é diferente. Primeiro tem a adaptação na educação infantil, na qual ela estabelece um relacionamento com pessoas diferentes do seu ciclo familiar.

Naturalmente, depois vem a mudança de fases para pré-escola, ensino fundamental e as demais. E todas essas mudanças geram obstáculos diferentes para o seu filho. Por isso, antes de ajudá-lo é necessário conhecer alguns deles. Veja a seguir.

Aceitação dos colegas

A busca pela aceitação é uma característica natural do ser humano, pois ela acontece até mesmo nos trabalhos com os adultos. Para tanto, com as crianças não é diferente, afinal, uma simples festa de aniversário que pode ir pessoas novas, já costuma gerar ansiedade nos filhos.

O motivo disso é a necessidade do humano, desde pequeno, em se sentir bem-visto, amado e valorizado por outros indivíduos próximos. Então, quando surge a ideia de mudar de escola, a primeira preocupação da criança é se ela será aceita pelos colegas, se vai conseguir mostrar quem ela é e se os amigos vão entender.

Mudança de rotina

A rotina para os filhos é importante para a sua formação. Nesse sentido, os novos hábitos podem ser estranhos para eles no início, pois estavam acostumados a acordar em um determinado horário, fazer um caminho até a escola e ser acolhidos pelo professor e colegas de uma maneira.

Com a mudança é normal eles ficarem inseguros e esse tempo pode durar até três meses. Afinal, o filho deve sentir confiança nesse lugar e criar laços com as pessoas que o acompanham na escola. Além disso, a criança precisa amadurecer a ideia saudável de que é uma continuidade do processo anterior.

Novos relacionamentos

Independentemente do tempo que a criança permaneceu na última escola, ela criou relacionamentos com os amigos, professores e os demais colaboradores da instituição. Algumas dessas interações tinham mais afeto e amizade.

Contudo, na nova escola eles precisam se relacionar do zero, sendo assim, é válido pontuar que a novidade é para o seu filho e para os coleguinhas também. Por isso, essa conquista pode ser demorada e desafiadora.

Desafios e responsabilidades

O obstáculo é ainda maior quando o filho deve sair da pré-escola para enfrentar o ensino fundamental. Eles são muitos pequenos, ainda estão em fase de desenvolvimento, amadurecimento emocional e autoconhecimento.

A diferença entre essas fases escolares é um pouco maior, pois ele precisa deixar um pouco mais de lado as brincadeiras, músicas e outras atividades divertidas para realizar tarefas que exigem mais da sua dedicação. Além disso, começam a ter responsabilidade, como entrega de exercícios e provas.

Como ajudar o filho na troca de escola?

Os pais têm papel importante na vida dos filhos. Além de dar amor e atenção, eles precisam facilitar e apoiar os processos de aprendizagem da criança. Por isso, o bom relacionamento com a família é tão fundamental quando o assunto é a passagem por mudanças.

Converse claramente

Assim que os pais tiverem o plano de mudar o filho de escola, eles precisam preparar a criança. Contudo, é essencial que haja um diálogo aberto, independentemente da idade do filho. Pois, como vimos, toda mudança naturalmente gera uma ansiedade nos pequenos.

Sendo assim, evite criar ambientes mágicos e irreais, a fim de evitar frustração na criança. Explique o motivo da troca, porque ela vai ser boa e as oportunidades que o filho terá nesse novo ambiente.

Envolva o seu filho

A participação da criança faz o processo ser mais tranquilo. Nesse sentido, deixe que ela interaja na conversa sobre a nova escola e pergunte todas as dúvidas que surgirem. Inclusive, ela deve se envolver nas atividades preparatórias, como compra de material, uniforme e planejamento da rotina, por exemplo. Além do mais, é interessante levar o filho para conhecer o caminho até a escola e fazer uma visita antes das aulas.

Mantenha a confiança

O processo de mudança pode ser difícil para os pais também, mas não sinta culpa por isso. Mantenha a firmeza e a confiança de que a transição é boa para o seu filho, isso vai ajudá-lo na adaptação escolar. Não prolongue muito a despedida, evite ligar ou mandar mensagem com frequência, como se ele estivesse correndo algum risco.

Tenha parceria com a escola

A família e a escola têm funções importantes na adaptação da criança. Eles precisam compartilhar dos mesmos valores e interesses, criando assim laços de parceria, para assim os pais ficarem mais tranquilos quanto à educação e segurança dos filhos. Portanto, conheça os professores, funcionários e regras da escola para se inteirar de tudo o que acontece com a criança e contribuir com a adequação dela.

Seja paciente com a adaptação

A mudança de escola pode ser demorada, por isso os pais precisam entender as dificuldades envolvidas e ter paciência. No início é comum eles sentirem mais irritação, sensibilidade e até fazer birra. Se acontecer um choro, a criança se isolar ou outra situação, converse. É fundamental ser firme enfatizando a necessidade de uma nova escola, mas não ignore os sentimentos da criança.

Como ajudar os filhos a fazerem novos amigos na escola?

As amizades na escola auxiliam na adaptação, pois elas contribuem com o interesse em estudar, tornam o ambiente mais agradável e ajuda a evitar as notas baixas na escola. Porém, por vários motivos, algumas crianças têm dificuldades em fazer amigos, mas os pais podem facilitar esse processo também.

Converse com os pais de outras crianças

Os filhos se espelham nas atitudes dos pais, sejam elas boas ou ruins. Se os adultos não têm o costume de conversar com pessoas novas, não têm uma vida social ativa, como frequentar reuniões e casa de amigos, fica mais complicado para a criança seguir um caminho diferente.

Pensando nisso, comece a interagir com os pais de outras crianças na escola, principalmente da mesma classe que o seu filho, para assim, criar uma amizade saudável. A prática servirá de exemplo para a criança, além de incentivar que o seu filho tenha amizade com o filho dos pais que você conversa.

Incentive a socialização

Ter uma boa socialização faz parte de uma vida saudável para todo ser humano, em qualquer idade. Esse hábito proporciona mais felicidade, cria boas oportunidades e facilita o trabalho em grupo, que é sempre exigido na vida profissional. Nesse sentido, é válido as crianças terem a habilidade de socializar desde a primeira infância.

Os pais podem perguntar como foi o dia na escola, questionar sobre os amigos, comentar sobre a importância de fazer amizades, além de dar exemplos de como ele se relaciona no trabalho com as outras pessoas. Inclusive, entender as dificuldades do filho com a socialização é fundamental para evitar problemas, como bullying e depressão.

Proponha brincadeiras

Brincar é uma boa maneira de ter um tempo de qualidade com o seu filho. Além de se divertirem, é possível conhecer mais as características da criança, acompanhar o desenvolvimento dela e estabelecer mais confiança entre pais e filhos. Sendo assim, os pais podem usar das brincadeiras ou de jogos para trabalhar a socialização em casa.

Além disso, é interessante criar situações na qual a criança possa compartilhar com os colegas na escola, para facilitar o processo de fazer novos amigos, como contar uma novidade, ensinar uma brincadeira para eles, levar jogos para se distrair no intervalo das aulas e entre outras.

Como os pais podem se preparar para esse momento?

Com um planejamento para mudança de escola não é somente os filhos que precisam estar preparados. Afinal, os pais também vão lidar com várias preocupações e mudanças na rotina, portanto eles precisam estar preparados para assim ajudar o filho quando necessário. Acompanhe a seguir como deve ser esse preparo.

Conheça a escola

Não existe nada mais preocupante para os pais do que mandar o filho para uma escola que eles não conhecem. Por mais que você tenha boas referências e indicações de uma escola, disponha de um tempo para ir conhecer o ambiente. Afinal a instituição pode ser boa para uma família, mas não atingir as suas expectativas.

A escola sempre deve ser como uma extensão da casa da criança, compartilhando os mesmos valores com interesses iguais aos da família. Imagine matricular o seu filho em uma escola que não conheçam, e em um curto período, não se adaptarem com as regras e métodos dessa organização? Será necessário mudar de escola novamente, começando do zero todo o processo.

Se existir um conhecimento prévio dessa organização, como a rotina, as atividades extracurriculares e metodologias de ensino, certamente será mais difícil não se acostumarem com a escola, pois ela foi escolhida conforme os seus princípios.

Converse com os professores

Os professores são as pessoas que passam mais tempo com a criança na escola, além de acompanharem de perto o processo educativo do seu filho. Sendo assim, tenha uma conversa clara com os professores para entender como eles trabalham, conhecer a postura deles e, claro, fazer uma apresentação do perfil da sua criança.

É o momento de expor se ela tem alguma dificuldade, insegurança, bem como uma habilidade que querem estimular e entre outras. Os pais devem aproveitar para sanar todas as dúvidas quanto ao desenvolvimento da aprendizagem da criança, para que juntos possam criar um ambiente saudável para o filho evoluir.

Planeje uma rotina

As crianças precisam de rotina, como saber quem vai levar e buscar na escola e para onde e que horas vão, por exemplo. Portanto, os pais precisam deixar tudo organizado a fim de evitar estresse e gerar mais ansiedade para ambas as partes.

Se for o caso, com uma boa antecedência do início das aulas, já deixe a mochila arrumada e o uniforme pronto para usar. No dia anterior, prepare a lancheira. Esse planejamento ajuda os pais e a criança a terem uma boa organização, além de ajudar a se acostumar com a nova rotina.

Quando é hora de buscar ajuda profissional para a criança?

Como vimos, a família e a escola têm papéis importantes na vida escolar da criança como um todo, inclusive na adaptação. Porém, pode passar o tempo de acomodação e mesmo assim o filho não se acostumar com a novidade. Consequentemente, refletirá no desempenho das atividades e na socialização da criança.

Esse problema está diretamente relacionado ao emocional do seu filho, pois é um resultado da falta de compreensão dessa mudança, pois até a adolescência eles enfrentam dificuldades para conhecer e lidar com as próprias emoções. Quando somos adultos, conseguimos resolver essas questões com mais facilidade, mas para a criança os aspectos emocionais são indefinidos.

Desse modo, é comum elas fazerem birras, chorarem e se afastarem dos pais, como se não fossem compreendidas e valorizadas. A atitude é com foco em chamar a atenção para si mesma e conseguir realizar as suas vontades.

Entretanto, se a situação já passou do controle dos pais, mesmo após conversarem explicando os motivos de mudar e a criança insistir nos comportamentos contrários é imprescindível procurar a ajuda profissional, para assim ter uma avaliação e estimular o filho na resolução desses conflitos.

Por fim, pode ocorrer de pais e o filho precisarem de uma readaptação com a mudança de escola, seja mudando a rotina, participando mais das atividades escolares ou praticando o diálogo que faltou no início do processo. Os próprios professores podem ajudar nesse acolhimento da família ou um auxílio com terapia pode estreitar os laços, melhorando a compreensão da criança.

Se você gostou deste conteúdo aproveite para compartilhar nas suas redes sociais para que outros pais saibam como lidar com a mudança de escola dos filhos.

Call to Action

Detalhe do Call To Action para Download do Material

Deixe um comentário

Artigos relacionados


Share via
Copy link
Powered by Social Snap

Seu futuro começa aqui

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos sobre educação!