O que são competências socioemocionais?

Educação Socioemocional

28 de junho de 2022

Redação Guia do Futuro
Redação Guia do Futuro

Equipe apaixonada por educação, produzindo conteúdos voltados para pais que querem fazer a diferença na formação dos filhos!Publicado em . | Atualizado em 20 de julho de 2022.


Entenda sua importância e como desenvolver a inteligência emocional desde a infância.

O que são competências socioemocionais?

Considerando a velocidade das transformações que ocorrem no mundo, muitos especialistas de ensino são enfáticos: as competências cognitivas não são suficientes para suprir as necessidades da sociedade contemporânea. Para conseguir lidar com os cenários voláteis e incertos em que vivemos, é preciso ter inteligência emocional.

Há anos que as emoções humanas têm sido investigadas pela neuropsicologia, biologia e psicopedagogia. Estudiosos de todas essas áreas reconhecem a importância de prepararmos crianças e jovens para o futuro, desenvolvendo habilidades que vão além de aprender a acumular informações de forma intelectual.

As competências socioemocionais não são conhecimentos facilmente medidos por avaliações. Enxergar a progressão da capacidade de lidar com emoções, se relacionar com o próximo e tomar decisões conscientes exige um acompanhamento atento de familiares e professores.

Como implementar a educação socioemocional?

Primeiramente, devemos compreender o significado de competência. A Base Nacional Comum Curricular define como uma mobilização de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores para resolver demandas complexas da vida cotidiana.

Quando falamos das competências socioemocionais, podemos dizer que são as habilidades que fazem diferença na nossa convivência social, na responsabilidade de tomar decisões e também na forma que lidamos com situações adversas. Ao contrário do que se acreditava no passado, quando essas capacidades eram amadurecidas naturalmente ao longo do tempo, hoje os especialistas afirmam que essas competências devem ser ensinadas e aprimoradas desde a infância.

As competências socioemocionais são de grande importância por conta da influência no preparo da criança para os desafios pessoais e profissionais que enfrentará na vida adulta. São habilidades que vão além do aspecto cognitivo no processo de aprendizado, agem diretamente na construção da personalidade e na formação de um cidadão consciente de sua responsabilidade na sociedade.

Competências socioemocionais na educação infantil

Criadora do termo “Aprendizagem Socioemocional”, a Casel (Collaborative for Academic, Social and Emotional Learning) é uma entidade norte-americana, sem fins lucrativos, que realiza pesquisas e sugere atividades educacionais para o desenvolvimento das habilidades socioemocionais, sendo referência para diversos países, inclusive o Brasil.

A atuação da Casel serviu como fonte de inspiração para a elaboração da nossa Base Nacional Comum Curricular, que orienta as instituições de ensino do Brasil a trabalharem com conteúdos de dimensão emocional e social para promover o desenvolvimento humano. São habilidades a serem construídas gradualmente, tanto que a própria BNCC prevê o que deve ser trabalhado a cada ano. Sendo um aprendizado que deve acompanhar a criança durante toda a sua jornada acadêmica.

Além da melhora nos índices de aprendizagem e na saúde mental, estudos apontam que as habilidades socioemocionais favorecem as relações entre os alunos, contribuindo para a solução de conflitos de maneira pacífica. Por estimularem uma natureza inclusiva, funcionam também como aliadas importantes no combate ao bullying.

Para que a criança se desenvolva plenamente, é fundamental a promoção da educação socioemocional nos mais diferentes contextos, tendo a família como principal parceira no processo com a escola. Conheça as cinco macrocompetências, listadas pela Casel, que devem ser estimuladas pelos pais e professores desde a infância.

Quais são as 5 macrocompetências socioemocionais

Autoconhecimento

Refere-se à capacidade de identificar as próprias emoções, reconhecer suas forças e limitações, ter um olhar otimista e uma mentalidade de crescimento. Podemos citar como exemplos:

  • Relacionar sentimentos, valores e pensamentos.
  • Desenvolver interesses e um senso de propósito.
  • Experienciar autoeficácia.
  • Demonstrar honestidade e integridade.
  • Integrar identidades pessoais e sociais.
  • Reconhecer preconceitos e influências.

Autogestão

Se é preciso ter consciência de suas emoções, também é de extrema importância conseguir gerenciá-las. A partir disso, a criança aprende a controlar impulsos, administrar o estresse e se sente motivada para definir metas pessoais e coletivas. Temos como exemplos:

  • Gerenciar suas próprias emoções.
  • Identificar e usar estratégias para lidar com o estresse.
  • Definir metas pessoais e coletivas.
  • Usar habilidades de planejamento e organização.
  • Mostrar coragem para tomar iniciativa.
  • Demonstrar atitudes positivas individualmente e coletivamente.

Consciência social

Envolve a capacidade de compreender os sentimentos do outro e perceber as necessidades do coletivo. Manifesta-se pela demonstração da empatia, compaixão e respeito pelas diferentes culturas e origens. Uma competência essencial para a promoção de uma educação inclusiva. É caracterizada por atitudes como:

  • Tomar as perspectivas.
  • Reconhecer os pontos fortes no outro.
  • Mostrar preocupação com os sentimentos dos outros.
  • Expressar gratidão.
  • Identificar normas sociais, incluindo as injustas.
  • Reconhecer a diversidade de pessoas.

Habilidades de relacionamento

Como o nome sugere, é uma competência que abrange a maneira como alguém se relaciona interpessoalmente. Enquanto a consciência social trata do reconhecimento das perspectivas do outro, as habilidades de relacionamento abordam a escuta ativa, a comunicação, a cooperação e a forma como se busca solucionar conflitos. Podemos citar outras capacidades como:

  • Oferecer apoio e ajuda quando necessário.
  • Buscar resolução colaborativa de problemas.
  • Negociar conflitos de forma construtiva.
  • Adaptar-se a ambientes com pessoas diversas.
  • Prover liderança.
  • Defender os direitos dos outros.

Tomada de decisão responsável

É a capacidade de fazer escolhas considerando as medidas de segurança desenvolvidas em sociedade e os padrões éticos e morais. O indivíduo reconhece que suas atitudes não afetam apenas o bem-estar social, sendo capaz de prever os impactos de suas decisões pessoais, interpessoais, comunitárias e institucionais. Tais como:

  • Exercitar o pensamento crítico.
  • Identificar soluções para problemas pessoais e sociais.
  • Compreender e respeitar as normas e leis.
  • Aprender a fazer um julgamento fundamentado após analisar os fatos.
  • Demonstrar curiosidade e mente aberta.
  • Antecipar e avaliar os impactos de suas decisões na vida pessoal e no coletivo.

Como trabalhar as competências com os pequenos?

Uma das maneiras de aperfeiçoar as competências é por meio de atividades lúdicas, pois oferecem recursos ricos para o aprendizado e a ampliação dos principais domínios do desenvolvimento infantil: motor, cognitivo e socioemocional.

Nas brincadeiras coletivas, a criança consegue explorar as cinco macrocompetências de forma lúdica e em uma condição que é natural para ela. Aprende sobre como cooperar e ouvir o outro. Descobre a importância de compreender e respeitar as normas do jogo, conhecendo suas limitações e forças. Usa também a criatividade, expressa suas emoções, exercita coragem e persistência ao lidar com situações de conflito. Esses são alguns exemplos do enorme potencial educativo que as brincadeiras possuem.

Outra ferramenta poderosa é a leitura. Crianças costumam se identificar em algumas situações descritas nas histórias, e isso pode ser usado para descobrir novas reflexões. Pergunte sobre o que seu pequeno sente em relação a uma situação específica que um determinado personagem enfrenta.

Um bom livro traz oportunidades para apresentar as principais características sobre o que é medo, ansiedade, felicidade, gratidão e outros sentimentos fundamentais. Um dos primeiros passos para se ter autoconhecimento é desenvolver a capacidade de identificar e nomear o que sentimos. Esteja sempre disponível para apoiar quando seu filho estiver desconfortável ou confuso sobre o que sente.

Considerando que as competências socioemocionais são habilidades essenciais para vivermos em sociedade, nada melhor do que praticar diariamente, desde cedo. Começando em casa e seguindo com o apoio da escola, tudo o que fazemos com as crianças pode se tornar uma grande experiência de aprendizado!

Gostou do conteúdo? Não deixe de compartilhar este artigo com outros pais e responsáveis para que eles também possam ficar por dentro do quão importante é desenvolver as competências socioemocionais dos pequenos desde cedo 😉

Call to Action

Detalhe do Call To Action para Download do Material

Deixe um comentário

Artigos relacionados


Share via
Copy link
Powered by Social Snap

Seu futuro começa aqui

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos sobre educação!